Pages

domingo, 10 de julho de 2011

Lembranças


"Era prazer? Era. Mas era mais que prazer. Era alegria. A diferença? O prazer só existe no momento. A alegria é aquilo que existe só pela lembrança. O prazer é único, não se repete. Aquele que foi, já foi. Outro será outro. Mas a alegria se repete sempre. Basta lembrar." Rubem Alves

Hoje fico com as lembranças.
Lembranças que são parte de mim, pedaços, meu próprio eu.
Lembranças da infância: brincadeiras na calçada, bolo com casquinha de açúcar e limão, irmãos, natal. Casa de mãe e avô. Tempo em que as frustrações eram apenas de não ter tirado 10 na prova ou de não ganhar no jogo. Jogos de baralhos intermináveis com a irmã. Amigos inseparáveis que hoje só os tenho nas minhas lindas histórias. Brincadeiras na areia, esconderijos no sítio da escola, o pecado da brincadeira dos copos...
Quanto tempo, quantas alegrias... minha doces lembranças... sim, isso é alegria!
Lembranças de quem cresceu: o passar na faculdade e sua trajetória (aulas, provas, estágios, os carões dos professores quando faziamos "bobagens terapeuticas"), filha crescida, amigos que agora não são mais os da "rua", bolo angola, os trabalhos, o amor... A gente pensa que quando cresce tem mais domínio sobre a vida... mero engano! São as "nossas" escolhas, os "nossos" desejos, a qualquer hora, em qualquer tempo... mero engano!
Mas ficam as lembranças... as alegrias!
Fica o momento exato que conheci cada amiga que hoje me acompanham,
Fica a carinha furiosa, de ter saido do seu conforto materno, da minha filha ao nascer,
Fica o primeiro leitor do blog, e também o primeiro blog quase no abandono, quantas águas em um pote...
Fica seu rosto de "muito prazer!" e seu sorriso, gravado em minha memória, seja qual for o nosso destino... fica a alegria do que vivemos... as lembranças...

9 comentários:

Terê. disse...

olá minha querida, verdade é sempre muito bom vencer, sei que é apenas um pequeno passo, más para mim é enorme, obrigada pela comentário, bju terê.

Atitude do pensar disse...

Dani, tenho pensado tanto sobre o que fica registrado em nossa alma; o acúmulo de nossos baús e gavetas. De cá prefiro tê-los - mesmo aqueles que são nascidos da dor. Eles - os registro/as lembranças -, referem-se a quem sou, aonde cheguei.
Bjin

Belos e Malvados disse...

Acho que a gente precisa lembrar para ter certeza de quem é. Um beijo

♪ Sil disse...

Dani,

Eu sou um poço de lembranças!
Tenho algumas guardadas na gaveta do coração, que me fazem sofrer ao lembrar delas.
Mas tenho as lembranças felizes, e essas são tão boas de lembrar..

Lembranças, mesmo que amargas não são ruins.
Trazem aprendizado de alguma forma.

Um beijoooo minha querida!

Maggie May disse...

fica tudo, pro bem e por mal…
beijo linda!

Rafael Castellar das Neves disse...

E assim se vai, sem parar...

[]s

Vanessa Souza Moraes disse...

Distinção interessante.

Andressa disse...

Mas a alegria se repete sempre. Basta lembrar.

:D

Hope* disse...

Também me perco nas lembranças e as vezes tenho vontade de ficar e deixar o resto passar....

Bjoo!