Pages

terça-feira, 5 de junho de 2012

sem explicações...

                                  "Não havíamos marcado hora, não havíamos marcado lugar. 
                                        E, na infinita possibilidade de lugares, na infinita possibilidade de tempos,
 nossos tempos e nossos lugares coincidiram. 
E deu-se o encontro." 
Rubem Alves





Não reconheço o momento exato, não lembro onde nem quando, nem mesmo que roupa usava à primeira vez que percebi você em mim. Sem planejamentos, sem intenções... Num piscar de olhos você já estava lá... bem sentado dentro do meu peito, fazendo bagunça no meu pensar.
Confesso: gosto. Renova-me os ares, trás de volta as vontades, desafia-me.
Sonho... Acordo... Faço esse movimento diversas vezes em fração de segundos...
Como entrou, assim, sem pedir licença?
Nem sei o que você quer... mas os meus quereres... Ah! Esses são sempre muitos...
Sou fogo... coragem... vontade de me apoderar...  Ao mesmo tempo que encho-me de medos... de lembranças que ainda impedem-me de arriscar. Isso tudo inquieta-me...
Penso... mas ainda não existo... por que tenho medo de não ser real. Eu preciso do concreto... Pegar, cheirar, beijar...
Gosto da força com que invade-me, gosto da sedução... Gosto de sentir as minhas próprias indecisões... Parece loucura...insana... é isso que sou...
Encurralada? Mas será que eu mesma não me coloquei nesse lugar?
Reconheço que gosto mais do perigo que da solidão... por isso: o risco.
Afeiçoo-me pelos encantos da paixão, pelos encontros e desencontros, pelos mistérios, pelas possibilidades que ficam no ar... A expectativa... excita-me... preciso de emoção, do calor que invade-me até a alma... Sou intensa, inteira... não quero meias palavras...
Você não precisa me cutucar...

4 comentários:

Laricy disse...

Quanta paixão...!
Espero que seja mesmo um novo amor, e que este te mereça e te faça muito feliz. Porque você é especial e merece tudo de bom que a vida pode oferecer.
Te adoro!

Shuzy disse...

Adorei... Também eu meto-me nessas enrascadas do sentir...
O perigo é mais atraente que a solidão, sei lá, o perfume dele é mais cheiroso... hehe

Amei a frase do Rubem Alves, ainda não conhecia essa. Quem sabe um dia desses ela inspire um post meu...

Beijinho e bom final de semana, Dani!

Barthes disse...

Com que magia essa neblina fulgurante,acende-nos nesses instantes,e de nós se apodera,nos desafiando,transformando os nossos invernos em primaveras,mudando o nosso rotineiro acontecer nos anos.

Janaina Cruz disse...

Dani minha amiga, eu sou assim como tu, eu prefiro a dor, do que o vazio de não ter tentado, de não ter amado de não ter sofrido... Pois todas essas coisas fazem parte da vida, sem essas experiências não somos inteiros...

Abraços Dani, Deus te abençoe