Pages

domingo, 8 de agosto de 2010

Dia dos pais

Segundo domingo de agosto: dia dos pais. Não é um dia fácil pra mim. Meu pai nunca foi aquele pai de letra de música, sempre me questionei porque... Eu queria cantar pra ele, nas festinhas da escola eu queria que todas aquelas poesias e homenagens pudessem ser ditas a ele... mas nunca foi assim...
Não, não me entendam mal... le não é nenhum monstro ou coisa do gênero, mas não me lembro do seu colo, não me lembro das nossas converrsas, não me lembro dos seus cuidados e isso sempre me magoaram.
Tenho boas lembranças do Pai da minha mãe: meu avô. Mas ele se foi... me deixou... não tenho mais seu colo, sua benção, seu carinho...
Minha decepções com pais não terminaram em casa, o pai da minha filha foi a minha pior experiência, e me seinto culpada, esmagada mais uma vez. E não falo isso por um relacionamento desfeito, falo por ela, falo por vê-la na milhonésima tentativa que eu já não consigo ter com o meu.
Mas tem o Pai dos meus sonhos... e esse é lindo... um dia quem sabe... quem sabe...
E tem também os pais que são meus amigos, e os pais dos meus amigos, e muitas histórias boas... eles são maravilhosos. Eles me dão esperança que não precisava ter sido assim.
São sete e meia da manhã, mais tarde vou sair com meus irmãos e meu pai, vamos almoçar, uma tentativa de termos alguma história.
Hoje é um dia triste! Muito triste!

2 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

O meu é jóia...e agente te ama em conjunto.Bjs

por Hope* disse...

Dia dos pais eu comemoro com meu sogro, que é um bom exemplo da espécie....
Já perdi as contas de quanto tempo não comemoro a data com o meu mesmo.
Mas já nem falo isso com pesar, é só mais uma constatação.
Como tempo eu aprendi a dar pause em certos sentimentos, aliás eu me dou muito bem com o pause ligado, rs... As vezes o filminho teima em querer rodar, a gente fica meio balançada, normal, mas o pause está lá e logo eu congelo a imagem, na lembrança que eu quero. O importante é a gente interromper o ciclo, eu tive "sorte" com o pai da Isa, não poderia ser melhor, mas quando o ciclo quer persistir a gerações é necessário preservar o máximo os nossos maiores tesouros, porque ninguém merece saber da crueldade* humana tão cedo na vida.
Sem mentiras, mas sem acréscimos tb...
E vamuquevamu né nêga, não somos nem as primeiras, nem as últimas, a fortalecer a alma via obstáculos!

Também estava com saudades, mas andei passeando por aqui nos últimos dias...
;P
Bjoo!